DEFENDENDO O SERVIDOR PÚBLICO
Redes Sociais:

Notícias CNSP

140 anos de história: Os bombeiros da Polícia Militar de São Paulo merecem nossa gratidão

Publicado em: 13/03/2020

Antonio Tuccílio, presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP)

 

Em março de 2020, os bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo completam 140 anos, marca que merece ser comemorada. Dentre todos os segmentos do funcionalismo, este é certamente um dos mais respeitados pela sociedade. A boa reputação da corporação é resultado de décadas de trabalho extremamente eficiente e fundamental na vida de milhões de paulistas.

Decidi escrever sobre os bombeiros porque vivemos em um período em que os servidores estão sendo cruelmente atacados. Um exemplo recente é a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, que classificou-os de parasitas. Esse tipo de comentário é perigoso porque incentiva a população a se colocar contra bons profissionais do serviço público. Enaltecer os trabalhadores eficientes e corretos é, portanto, uma forma de bem-informar os brasileiros sobre o trabalho que realizam e sua indiscutível importância. A corporação dos bombeiros é um bom exemplo do serviço público que funciona bem.

 

Há alguns dias, o jornal Folha de S. Paulo divulgou matéria sobre o aniversário da corporação e trouxe números muito interessantes. Por exemplo: os bombeiros de São Paulo são acionados a cada 9,3 segundos. Atualmente, o estado conta com mais de 44 milhões de moradores e, apesar da alta demanda, mais de 90% das ligações são atendidas no primeiro toque, o que é essencial para que a corporação chegue aos locais rapidamente e possa salvar mais vidas. A rapidez com que os bombeiros são acionados é impressionante.

 

Muitas pessoas acreditam que o trabalho dos bombeiros se resume a apagar incêndios, mas suas funções vão além. Eles agem em missões de resgate na terra, no ar e no mar.

 

Há alguns dias, casas foram soterradas na Baixada Santista, ocasionando a morte (até o momento) de 44 pessoas. Os bombeiros são os profissionais que subiram o morro para ajudar as vítimas e que estão lá até hoje em busca dos desaparecidos. Um deles, o cabo Marciel de Souza Batalha, morreu enquanto tentava resgatar uma jovem e um bebê em Guarujá.

 

Ser bombeiro da Polícia Militar em São Paulo é atender a cerca de 530 mil ocorrências por ano e correr riscos de vida diariamente, mas não hesitar ao ser chamado.

 

Além da eficiência da corporação, os bombeiros são conhecidos por sua gentileza e boa educação. A população sente-se amparada e acolhida por eles, o que é muito importante quando falamos em serviço público. Afinal, o servidor não trabalha para o Estado. Ele trabalha pelo Estado, mas para as pessoas.

 

Por tudo isso, registro minha gratidão aos homens e as mulheres que fazem parte dessa corporação e meus parabéns pelos 140 anos de história. Que a população de São Paulo possa sempre contar com o apoio desses grandes profissionais.