DEFENDENDO O SERVIDOR PÚBLICO
Redes Sociais:

Palavra do Presidente CNSP

Novas medidas de combate à corrupção precisam ser adotadas com urgência

Publicado em: 26/08/2021

 Novas medidas de combate à corrupção precisam ser adotadas com urgência

A última década foi muito marcante e emblemática para o país no quesito combate à corrupção. Marcados pelos protestos de junho de 2013 e o boom da Operação Lava-Jato, as pessoas juntaram forças e elaboraram ‘Medidas contra Corrupção’. Mas, como sempre, houve zero interesse dos parlamentares por essas medidas, as quais caíram totalmente no esquecimento. “Os tempos são outros. Estamos em uma nova década, enfrentando novos desafios, mas uma força estranha teima em atrasar o desenvolvimento do nosso país: a corrupção. Precisamos de medidas novas e eficazes”, aponta Antonio Tuccilio, presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP).

 

Em entrevista a diversos veículos de comunicação, especialistas são unânimes em dizer que quaisquer propostas reais de combate à corrupção terão fortes adversários nos três poderes. Segundo o presidente da CNSP, essa resistência é preocupante e chama a atenção. “Como medidas efetivas de combate a crimes, principalmente de colarinho branco, podem sofrer resistência dos poderes que têm como função principal governar o país? É muito preocupante”, reforça.

 

Entre as medidas fundamentais apontadas pelos especialistas está a redução drástica do foro privilegiado, retomada da prisão após condenação em segunda instância e combate a retrocessos. Além disso, todos concordam que a reforma política é essencial. “Uma reforma política é crucial para o combate à corrupção. Recentemente, o assunto voltou a ser pauta no Congresso, mas não do jeito que deveria ser. Uma reforma que promova a refundação de partidos faria maravilhas para o sistema político brasileiro, que atualmente não anda bem”, destaca Tuccilio.

 

Reforma partidária, redução de privilégios da classe política e diminuição da captura do orçamento público pelo Congresso são pontos cruciais para o combate à corrupção. Para Antonio Tuccilio, isso representa um bom avanço, mas medidas como essa precisam ser seguidas com cautela.

 

“Destaco a importância da redução ou corte dos penduricalhos de deputados, senadores e vereadores. Os deputados, por exemplo, chegam a receber R$ 200 mil por mês apenas em penduricalhos. Redução de privilégios assim não só significaria um pequeno alívio para os cofres públicos como também um grande avanço para o sistema político brasileiro”, conclui o presidente da CNSP.