DEFENDENDO O SERVIDOR PÚBLICO
Redes Sociais:

Canal das Filiadas

A INSEGURANÇA GERAL

Publicado em: 31/05/2021

 Por Renato Del Moura, Presidente Aepesp filiada à CNSP

 

Caro Colega!

A INSEGURANÇA GERAL

Vivemos hoje tempos confusos na nossa querida policia civil, vários fatores demonstram a carência de estrutura que vivemos, enumeremos os temas:

Gera apreensão aos policiais a questão da aposentadoria, emenda constitucional 41/03, emenda constitucional 47/05, lei 51/85, lei federal 144/14, qual a escolha, dúvidas que trazem desconforto, prejudica a saúde do profissional, acrescenta-se que todas as leis criadas após a Constituição Federal de 1988 foram prejudiciais ao policial civil, temos a questão da paridade que se transformou num objeto de judicialização constante, o que leva o policial em condições de aposentadoria a uma intranqüilidade e uma ansiedade que atrapalham o seu exercício profissional e sua vida pessoal.

Outra insegurança que recentemente abalou o policial foi a questão da insalubridade inclusive dos aposentados após a edição da regulamentação em 2017, todo funcionalismo já teve um rombo em seu mísero salário, tendo sua renda diminuída em torno de 20%,  um aumento da contribuição previdenciária  e aumento na contribuição para o IAMSPE, ora, em época de pandemia o governo estadual resolve aniquilar o servidor público, sem analisar a crise social e a angústia que alicerçou no policial civil.

No caso do escrivão é repetitivo e necessário apontar a falta de 5000 novos escrivães, a defasagem assoberbando os cartórios policiais e conseqüentemente prejudicando a saúde do escrivão e também obviamente o trabalho do andamento burocrático do inquérito policial, base de toda polícia judiciária.

Reforçamos a importância do escrivão no contexto da polícia judiciária, é policial de alto gabarito, sem ele o andamento da peça investigativa não prospera, pois a formalidade é imprescindível para a elaboração do inquérito nos tramites das leis que o disciplina.

É inconcebível que fiquemos inertes diante dos descasos provocados por leis aprovadas na Assembléia Legislativa em tempos difíceis e trágicos.  Muitas explanações via recursos da mídia do Whatsapp, se degladiam enquanto que colegas se manifestam uns a favor do “Dória” outros a favor do “Bolsonaro”, nada disso resolve, nosso problema é a insegurança em todos os sentidos, aposentadoria, recálculo da insalubridade, carga horária de trabalho que vai em desencontro as normas  da OIT, redução da renda salarial e muitos outros problemas.

A crise econômica em que vivemos não importa aos governos, já que se nota nos últimos anos a tentativa de desmoralizar a credibilidade do funcionalismo diante da sociedade e com a ajuda da mídia consegue, visto que, propagandas tanto na esfera estadual e federal são unânimes na mídia televisiva tentando demonstrar uma realidade fictícia, os escrivães estão extremamente descrentes, estamos sacrificados com uma defasagem na carreira, com as insegurança dos temas já apontados, ao que parece os parlamentares não se sensibilizam com esses trabalhadores pois, não vemos um projeto concreto de melhoria, estamos no caos economicamente, haja visto, com a aprovação da PEC 186, a qual retira qualquer esperança de melhoria e ainda virá uma reforma administrativa que será a pá de cal no servidor público.

Estamos empenhando o máximo, dentro do âmbito político, administrativo para uma melhoria da carreira e estamos sempre à disposição, enfatizando que leiam as matérias do nosso site, bem como os serviços que prestamos aos associados.