DEFENDENDO O SERVIDOR PÚBLICO
Redes Sociais:

Canal das Filiadas

Nota de repúdio:

Publicado em: 03/04/2019

A Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP), entidade que representa cerca de 800 mil servidores, repudia a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre interromper o pagamento de salários de servidores federais se a reforma da Previdência não for aprovada no Congresso. Também repudia sua declaração sobre os servidores se beneficiarem do que ele chama de “fábrica de desigualdade”, em referência à Previdência Social atual.

Nota que repudia a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes. Reforma da Previdência: o regime de capitalização é um perigo

A CNSP lembra ao ministro que os servidores contribuem com até 14% dos seus salários mensalmente, além de contribuírem mesmo depois de aposentados. Portanto, eles têm o direito a uma aposentadoria justa, assim como qualquer trabalhador que contribui mensalmente com o INSS. Também sugere ao ministro que não desconte o fracasso de uma possível reprovação da reforma nas costas dos servidores. Eles não devem ser penalizados pela falta de boa gestão das contas da Previdência.

 

Antonio Tuccílio,

Presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP)